Surfari | Roxy Pro Biarritz: Polêmica no Surf Feminino (pt. 2) Roxy Pro Biarritz: Polêmica no Surf Feminino (pt. 2) | Surfari

Roxy Pro Biarritz: Polêmica no Surf Feminino (pt. 2)

Surfari
Vivemos, respiramos e amamos o que fazemos

Segundo texto recebido de surfistas dissertando sobre como a sexualidade é utilizada na publicidade do surf feminino.

Lauren Ferreira:

Praia para mulheres é sinônimos de torrar no sol com o corpo a mostra, certo?! Sem dúvida! Porém, tem algumas meninas inquietas que não conseguem ficar muito tempo paradas numa cadeira de praia e se aventuram a entrar num universo que ainda é bem masculino, o line up. Até porque o astro rei também queima, e ainda mais dentro do mar.

Peguei minha primeira onda aos 8 anos, mesmo que já tenha subido inúmeras vezes no meu morey booggie (quem nunca?). O fato de ter começado muito cedo fez eu nem me dar conta que surf era um esporte masculino, somente na pré-adolescência (época que tu começa a querer ser/agir como uma mulher e não mais como uma menina, pegar uns gatinhos etc) eu decidi que poderia ser feminina e ser surfista. Uma coisa não iria impedir a outra.

É da natureza da mulher querer ser atraente, não importa em que situação, até mesmo quando está praticando um esporte que permanece muito masculino, como o surf.

%name %title

Alana Blanchard, considerada a surfista mais sexy da atualidade.

As marcas de surf mundiais começaram e sempre vão ser focadas em dar a melhor tecnologia para o surfista dentro d’água. Porém, atualmente seu maior apelo é o estilo de vida do surfista/da praia. Não importa se o cara/a menina surfa, eles com certeza têm várias roupas de marcas de surf no seu guarda roupa.

Marcas femininas como a Roxy/Billagong/Rip Curl focam os seus produtos para o lifestyle e não para performance, o que está completamente certo, caso contrário estas marcas morreriam de fome por falta de meninas na água. Todas têm uma linha para performance satisfatória, apesar de quando comparadas à tecnologia dos produtos masculinos são de chorar. Os produtos masculinos para performance são muito melhores. Enfim, o fato é que pela pouca expressão da mulherada no esporte, o departamento de marketing começa a se basear cada vez mais no argumento fundamental de toda marca feminina: a beleza da mulher.

%name %title

Monyca Byrne Wickey, em cena do filme “Leave A Message”, que estrela só garotas.

Essa introdução toda é pra falar do último teaser da Roxy para divulgação do Roxy Pro Biarritz. No filme, uma modelo que em nenhum momento pode ser reconhecida, tem a sua bunda filmada umas 6 vezes no vídeo (big close pessoal!) e algumas outras cenas explorando o lado sexy da modelo. Detalhe, esse teaser era pra divulgar um CAMPEONATO, que é vencido por quem tiver a melhor performance dentro d’água. E daí, como isso foi aprovado pela Roxy? Não sei.

Acho digno esse vídeo. Está lindo, a modelo é linda. Mas seria perfeito para sustentar um linha de lingeries da Roxy ou até mesmo uma coleção casual, mas não para sustentar um campeonato.

Terminando esse texto, dou uma olhadinha no Instagram e fico de queixo caído: a modelo bonitona de bundinha para o filme não é uma modelo, é a Stephanie Gilmore. Multi campeã mundial (Já perdi as contas, acho que foram 4 títulos consecutivos e mais um, dois anos depois). A minha inspiração mór, que nunca usa da sua beleza para posar em fotos se sujeitou a ser apresentada para seu novo patrocínio, a Roxy, através de seu belo corpo. Espero que todas as curvas que foram mostradas no filme sejam agora traduzidas através de surf de fato, e divulgado pelo marketing da Roxy (que, diga-se de passagem, tem uma das pessoas mais influentes do surf em sua equipe de marketing – a rainha Lisa Andersen. A mulher que teve seu estilo de surf comparado com stylemaster Tom Curren). Gilmore consegue ser tudo: linda, querida e, pasmem, a melhor surfista do tour!

%name %title

Apresentação de Stephanie Gilmore como nova integrante da equipe Roxy.

Por que só bunda? Ela é muito mais do que isso.

O teaser da etapa de Biarritz me remete a apresentação da Laura Enever, que rolou no início deste ano, ainda que o da Roxy seja absurdo comparado com este da Billabong.

A Laura é uma peteca surfista (faz sentido a apresentação dela ter sido assim, é uma particularidade da surfista) mas a Billabong pelo menos colocou algumas cenas da Laura dando um belo cutback.

 

Texto escrito no dia 09/07/2013, por Lauren Ferreira.

 

 

Instagram