Surfari | Gustavo Amarante Gustavo Amarante | Surfari

Gustavo Amarante

Surfari
Vivemos, respiramos e amamos o que fazemos

Gustavo Amarante, 26 anos, é um designer gráfico e videografista proveniente de um dos maiores redutos brasileiros de belas paisagens e quebra-cocos fora de controle, o Rio de Janeiro. Residente de Copacabana e filho de um renomado instrutor de mergulho, vídeo e fotografia chamado Ary Amarante, Gustavo, desde cedo, despertou o interesse pela captação de imagens em ambientes externos. Seu desempenho na edição de vídeos vai além de um ótimo senso estético para a fotografia, Amarante destaca-se também pela qualidade dos efeitos e grafismos que aplica em seus projetos. Conheça um pouco mais sobre Gustavo e seu trabalho na entrevista abaixo.

Fale um pouco sobre o como ocorreu seu início na fotografia/filmagem…

Com 13 anos assisti a um curso de fotografia subaquática ministrado pelo meu pai e desde então os mergulhos passaram a ser mais interessantes. Pouco tempo depois, passei a me interessar pela filmagem subaquática. O fato de você ter a liberdade de fazer movimentos de câmera que só conseguiria reproduzir fora d’água com a ajuda de mecanismos como sliders, gruas etc. me deixavam bastante empolgado.

Você leva seus projetos como um passatempo ou eles já se tornaram uma profissão?

Já virou uma profissão, mas acho que pelo fato de eu trabalhar mais focado no videografismo voltou a ser um passatempo, embora eu esteja disponível para quaisquer trabalhos na área.

U-hu [longboarding] from Hula Filmes on Vimeo.

O Rio de Janeiro é sua maior inspiração? Que outras locações/ambientes despertam seu interesse?

Não diria a maior inspiração, mas dentre as paisagens urbanas sim, quando você pensa que o cenário já foi bastante explorado, sempre aparece alguém para te provar o contrário. O fundo do mar sempre me despertou interesse e em particular a beleza dos naufrágios e da fauna marinha.

Quem são suas principais referências na fotografia e na filmagem?

Gosto dos trabalhos de direção do [Quentin] TarantinoChan-wook Park e [Steven] Spielberg, entre outros. Gosto de Chris Bryan e seus slow-motions. Na fotografia admiro o trabalho dos fotógrafos David Doubilet  e Ary Amarante.

Com que tipo de equipamento você trabalha?

Atualmente, estou com uma Canon T2i, uma [lente] tele 75-300mm e outra fixa de 50mm f/ 1.4 e uma  caixa estanque da Ikelite para a T2i.

Quais são seus próximos projetos e o que o futuro aguarda para Gustavo Amarante?

Alguns meses depois de ter feito o vídeo “P5”, que se passa na praia de Copacabana, houve um swell muito maior onde também fiz umas imagens. [Talvez] pode ser um próximo “P5”. Nesse mesmo dia, às 5h da manhã, comecei juntamente com meu amigo e sócio Pedro Cunha a captar imagens de um bodyboarder profissional chamado Francirley  Ferreira, para a produção de um teaser que a médio ou longo prazo poderá se tornar um documentário. Pretendo continuar estudando para realizar outros  projetos pessoais de forma a estar sempre aprimorando meu trabalho.

%name %title

Esquerda solitária, Rio de Janeiro. Foto: Gustavo Amarante.

 

Entrevista por Lucas Zuch.

Instagram