Surfari | Guess the Spot apresenta: Santa Cruz, Califórnia Guess the Spot apresenta: Santa Cruz, Califórnia | Surfari

Guess the Spot apresenta: Santa Cruz, Califórnia

Surfari
Vivemos, respiramos e amamos o que fazemos

Califórnia, berço e referência da cultura Surf & Skate no mundo. Ao segmentar este estado, apresentamos a cidade de Santa Cruz, precursora do surf nos Estados Unidos.

Localizada na região norte-central da Califórnia, cerca de 120 km ao sul de San Francisco, é o lar de um eclético grupo de surfistas progressivos, big riders, soul surfers e longboarders. Segundo a Surfing Magazine: “Em nenhum outro lugar do mundo você encontra tantos tipos diferentes de ondas em uma costa tão pequena: ondas grandes e pequenas, paredes longas e lisas, cavadas e tubulares”.

Os membros da família real havaiana foram os primeiros a surfar na costa americana, composta, na época, pelos príncipes Jonah Kuhio Kalaniana’ole, David Kawananakoa e Edward Keliiahonui, que em 1885 visitaram a cidade de Santa Cruz. Eles surfaram utilizando tábuas de madeira, semelhantes às alaias no Rio San Lorenzo, parte central da cidade. Este foi um dos marcos mais importantes na cultura do surf californiano.

%name %title

Presente havaiano em terras californianas. Foto: Lucas Zuch

Após esta visita, um pequeno grupo de surfistas locais continuou a surfar em algumas praias do sul da região, porém, o esporte começou a se popularizar quando a cidade recebeu novamente um visitante ilustre. Em 1938, a grande lenda havaiana e pai do surf moderno Duke Kahanamoku fez demonstrações de surf na região, o que inspirou muitos moradores locais a tentar a prática, e a partir disso o surf eclodiu não apenas em Santa Cruz, mas também por toda Califórnia. Após este fato, a cidade por muito tempo foi denominada a ‘Surf City’ americana, nome que se encaixa perfeitamente na cultura deste lugar que, de fato, respira o esporte.

%name %title

Estátua em Santa Cruz homenageando Duke Kahanamoku. Foto: Lucas Zuch

Além das praias e das ondas, uma das principais atrações da cidade é o Santa Cruz Surfing Museum, primeiro museu de surf do mundo, inaugurado em 1986. Dedicado à longa e rica história local, apresenta desde as pranchas utilizadas pelos surfistas locais nos anos 30 e 40, como também o desenvolvimento das primeiras roupas de borracha que foram produzidas.

%name %title

Foto: Lucas Zuch

%name %title

Foto: Lucas Zuch

Chegando até aqui, você deve perceber que o pioneirismo é uma característica fortemente ligada e enraizada na história da cidade. Não só pela carga cultural que o lugar possui, mas também pelas pessoas que lá vivem. Jack O’Neill é uma delas.

Além de pioneiro, outra palavra que caracteriza o fundador e idealizador da primeira marca de surf no mundo (que carrega seu sobrenome), seria: inovador.

Devido às águas do Oceano Pacífico no norte da Califórnia apresentarem uma temperatura capaz de matar um homem de hipotermia em minutos, mesmo no verão, Jack O’Neill como surfista, mergulhador e amante do oceano que era, via a necessidade de possibilitar a entrada e permanência na água por um tempo mais longo.

Com esse propósito em mente, em meados dos anos 40, Jack inicia o desenvolvimento das primeiras roupas de borracha, processo que iria de tentativas frustradas de roupas com pedaços de borracha e PVC, até a descoberta e uso do neoprene, material responsável pela revolução e evolução do surf em todo mundo.

Em 1952, Jack O’Neill abre a primeira loja de artigos de surf da história, vendendo pranchas, parafina e os primeiros modelos de roupas de neoprene, batizando-a de ‘Surf Shop’, um segmento do varejo que foi disseminado e hoje em dia gera bilhões de dólares anualmente na comercialização de produtos ao redor do mundo. Até hoje, o termo ‘Surf Shop’ é relacionado à marca O’Neill, que após mais de 60 anos de idade, continua com a inovação em sua essência, sendo uma das marcas mais conceituadas e respeitadas na indústria de artigos para o surf.

%name %title

1952, a primeira Surf Shop da história. Fonte: oneill.com

%name %title

2013, O’Neill Surf Shop. Foto: Lucas Zuch

Curiosidades: Pat O’Neill, filho de Jack, foi o inventor do leash. Em 1971, ao testar a invenção do filho, Jack sofreu um grave acidente onde perdeu a visão do olho esquerdo. Até hoje, suas fotos com o famoso tapa-olho fazem parte das imagens mais folclóricas da história do surf.

%name % title

Fonte: oneill.com

Curiosidades: Uma das marcas mais tradicionais do skate mundial carrega o nome da cidade. Fundada em 1973 pelos surfistas norte californianos Rich Novak, Doug Haut e Jay Shuirman, a companhia começou vendendo decks feitos de fibra de vidro, rolamentos e rodas. 40 anos após seu nascimento, a Santa Cruz Skateboards se mantém como uma das marcas mais destacadas na indústria de produtos para o skate.

Deixando um pouco a história de lado, em Santa Cruz você pode encontrar mais de 65 opções de ondas, que situam-se ao longo de todo o Condado. São mais de 70 km de uma costa desenhada. As ondas, via de regra, ficam progressivamente menores do norte para o sul, recebendo surf o ano todo, com ondulações consistentes reservadas para o outono e inverno.

A onda mais famosa de Santa Cruz é, sem dúvida, Steamer Lane. Porém, há outras opções que também podem oferecer um surf de muita qualidade, como: Pleasure Point, Moss Landing, the Harbor, the Rivermouth, Stockton Avenue, Mitchell’s Cove, Swift Street, Ledges, Año Nuevo, Cowells.

Steamer Lane é um reefbreak com muitas faces e o epicentro do surf em Santa Cruz desde os anos 40. O nome vem dos barcos a vapor (steam), que nos anos 30 passavam ao longo da baía da cidade.

Basicamente, são quatro diferentes seções sobrepostas: The Point, direita localizada na parte norte da onda, com swells favoráveis vindos do sul e sudoeste. The Slot, outra direita, localizada poucos metros ao sul do Point, onde ondulações mais favoráveis para esta seção vem de oeste e noroeste. Estas duas seções podem oferecer ondas tubulares, porém, na maioria das vezes são mais propícias para manobras de alta performance. Middle Peak, mais abaixo, oferece esquerdas e direitas que se projetam mais afastadas da costa, e a direção mais favorável é proveniente de sudoeste. E, por último, mas não menos importante, Indicator, que pode proporcionar paredes de quase 300 metros de comprimento em ondulações vindas do norte e noroeste.

Os penhascos localizados de frente para Steamer Lane constituem uma das melhores plataformas de observação para espectadores, fotógrafos e apreciadores.

%name %title

Steamer Lane. Foto: Lucas Zuch

Em 2012, coincidindo com o aniversário de 60 anos da marca O’Neill, foi realizado em Steamer Lane uma etapa do circuito mundial de surf, onde toda indústria do esporte se voltou para Santa Cruz, trazendo à tona novamente a origem e as raízes da cultura surf na Califórnia.

A essência do surf, e também do skate, ao longo das décadas fez com que estes esportes fossem incorporados ao DNA da cidade, propiciando as crianças locais crescer inalando esta cultura, e assim perpetuando o ciclo.

Citando as palavras do meu colega Lucas Zuch, que esteve no lugar:

‘Santa Cruz é um lugar que todo mundo deveria conhecer.

“Laid back” é a melhor definição dos moradores da região. Não se apresse, não se estresse, não se esconda.

Converse e sorria, impossível não gostar do lugar.’

Direção da ondulação: Norte/Noroeste/Oeste/Sudoeste.

Direção do vento: Sudeste

Melhor época para o surf: dezembro à março. (inverno)

Traje apropriado: Full suit no inverno (long john 4.3mm ou mais grosso, touca, luvas e botas); long john 3.2mm no verão.

Steamer Lane, Santa Cruz (Aerial footage) from Eric Cheng on Vimeo.

Fonte de inspiração e informações: The Encyclopedia of Surfing, by Matt Warshaw

Saiba mais à respeito do Guess the Spot.

Texto: Cássio Cappellari

Instagram