Surfari | Guess the Spot apresenta: Kirra, Austrália Guess the Spot apresenta: Kirra, Austrália | Surfari

Guess the Spot apresenta: Kirra, Austrália

Surfari
Vivemos, respiramos e amamos o que fazemos

Considerada muitas vezes como a melhor direita do mundo por surfistas dos anos 80. Onda favorita do 11 vezes campeão mundial, Kelly Slater. Lar de um dos ícones do surf da década de 70, Wayne ‘Rabbit’ Bartholomew. Em 1981 foi citada pela Surfing Magazine na matéria “The Best Waves in the World”. Em 1997 a revista Australia’s Surfing Life citou como sendo a primeira onda da lista “Ten Waves Every Surfer Should Ride.”

Com todas estas credenciais, uma pequena região do sul da Gold Coast australiana é palco de um dos picos mais lendários do surf mundial, estamos falando de Kirra Point.

%name %title

A perfeição de Kirra. Fonte: pinterest.com

Talvez Kirra seja aquela lenda que virou mito, onde o tio surfista conta para o sobrinho:

– “Na sua idade, havia uma onda incrível, ela quebrava com até 12 pés e proporcionava o melhor e mais longo tubo da sua vida.”

E o sobrinho, incrédulo com tal história, responde:

– “Mas tio, eu nunca vi a onda quebrar desse jeito.”

O tio, com um olhar que expressava pena e, ao mesmo tempo, um certo sentimento de orgulho egoísta de quem foi agraciado por viver os momentos épicos do pico e prevê o fato de que provavelmente seu pupilo nunca mais veja Kirra com a mesma qualidade, respondeu:

– “O homem moderno e suas peripécias. Não vejo Kirra quebrar clássico já faz quase 10 anos, depois que começaram a bombear areia do rio Tweed River, estragaram a bancada e a onda nunca mais foi a mesma.”

%name %title

Kirra Point, anos 90. Fonte: theislandstyle.com

Após esse típico diálogo na praia de Kirra entre o tiozão de longboard e seu sobrinho de 13 anos, talvez ainda não tenha ficado totalmente claro o que aconteceu, vamos explicar.

Kirra, até o fim dos anos 90, proporcionou para muitos surfistas memórias inesquecíveis, tubos longos, intensos e constantes. Com certeza uma época de ouro para os locais e viajantes que visitaram o pequeno bairro de Coolangatta, no extremo sul da cidade de Gold Coast, Austrália.

Em meados do ano de 2001, embarcações cada vez maiores atravessavam o Tweed River, rio que corta a cidade de Tweed Heads, que fica na exata divisa com o extremo sul da Gold Coast, no bairro de Coolangatta. Para suportar navios de grande envergadura, era necessário aumentar a profundidade do rio, então, a partir disso, com o apoio e aprovação das autoridades, a areia do fundo do canal começou a ser bombeada para alto mar.

O resultado disso foi um grande escoamento de areia para o oceano e, devido as fortes correntes da região, essa gigante quantidade de areia acabou sendo levada para Kirra, o que, ao longo dos anos, foi modificando essa mítica bancada.

%name %title

Fonte: snapperrocks.com

A partir de 2010, um grupo de surfistas locais começou uma campanha para trazer a velha e lendária onda de volta, ‘BRING BACK KIRRA’ – reúne todos os anos centenas de surfistas na praia, entre eles Mick Fanning, Joel Parkinson e Dean Morrinson, solicitando obras de reestruturação do pico.

%name %title

Kirra nos dias de hoje. Foto: Lucas Zuch

Curiosidades: O nome Kirra é uma palavra aborígene que significa “Local de encontro”. De frente para a praia, há um famoso monumento em forma de águia, símbolo da praia, lugar também conhecido como Eagle Point.

%name %title

Eagle Point. Foto: Rafael Dossena

Reformas no banco de areia até hoje são feitas, na tentativa de restaurar aquela onda que mora nos sonhos de muitos surfistas que já vivenciaram ou assistiram filmes como Tubular Swells (1977), Surf Into Summer (1987), Cyclone Fever (1994), Snuff (1999), e Montaj (2002).

Direção da ondulação: Sudeste

Direção do vento: Sudeste.

Melhor época para o surf: dezembro à março.

Traje apropriado: long john 3.2mm no inverno, bermuda de banho no verão.

COOLY KIDS / SAVE KIRRA from Shaggadelic’s Home Movies on Vimeo.

Texto: Cássio Cappellari

Instagram